14 de mai de 2011

Eu já vi um STAND UP de Rafinha Bastos

ASSISTAM AO SHOW DO BANANÃO NO CLUBE DE COMÉDIA


Fui por acaso a um stand up do Rafinha Bastos há uns três anos. Era o lançamento do DVD da série Mothern e Fernanda D`Umbra, nossa atriz amiga, trabalhava nesse projeto. Bafinha ao que me parece fez uma participação na série de TV... algo do tipo. Deram um espaço pra ele falar aquelas coisas todas que nos deixam "tão chocados e oh realmentezzzzZZZZZzzzz". De repente ele sobe ao palco e começa a falar. Bebi prosecco naquela noite, é verdade, mas sou boa observadora em síntese. Lembro que todos nós assistimos aquela apresentação completamente impassíveis. Exceto uma das atrizes que ficou ofendida quando o nobre STAND UP mencionou uma piada sobre Síndrome de Down, se não me engano a moça era mãe de um filho Down. A lógica de Rafinha não é nova: na entrevista que foi disponibilizada pela Rolling Stone, o segredo de seu sucesso é ser um cara muito "ELE MESMO" 

 "Se não fosse autêntico, se fosse um personagem, as coisas não teriam dado certo pra mim. É o que me diverte, é o que me faz rir, é o caminho que eu quis seguir." 

Larry, você pode nos perdoar?

Nós, brasileiros, deveríamos ficar felizes em termos alguém que é o cerne da liberdade de expressão individual. Coisa que os americanos já fazem, uma coisa bem "Larry David"- DESCULPA A GENTE LARRY - influência direta do Bastinha, segundo ele. Entretanto, há um ponto, um grande ponto nisso tudo: Rafinha Bastos é uma pessoa sem talento. Faz sucesso porque estoura os limites. Quem já leu escritores como Hunter Thompson, João do Rio, Marcelo Mirisola ou até mesmo o preferido da garotada, Bukowski, sabe que o trabalho do Bananão - foi o que pensei quando vi Bastinha na apresentação - consiste em teasers de cão que late, SÓ LATE, no final não tem nada ali, nem mesmo o Bafinha está ali. Ok, ele não escreve literatura, mas escreve aquelas piadas "ultra-transgressoras" que estão lá no show dele. Ele pode fazer piadas sobre estupro, Síndrome de Down, o que for... elas não são boas, nem ruins - de mau gosto só porque me parece que o melhor é rir de si mesmo e nunca rir apenas em cima do outro, uma imbecilidade -  não significam nada. Eu passei incólume por Rafinha Bastos e assim que terminou a apresentação STAND UP,  já havia me esquecido dele e permaneci sem essa lembrança até que tive uma faísca de memória esses dias e - ainda bem... Lembrei que já havia visto o Bananão em ação!

Alto nível de humor "libertário"

Pode ser que eu não esteja no  nível de percepção para compreender o humor de clube de comédia do Bananão. Bastinha Rastos acredita que: "não faz humor pra todo mundo". Só para um público selecionado que paga R$ 300 reais para ir vê-lo. Vejam que sorte tive, em pleno Rio de Janeiro, de bobeira, vi o show do Bananão de graça! No entanto, eu que tenho um pouco mais de inteligência que um cão labrador, não gostei, achei babaca que nem os moleques da adolescência que falam coisas do demônio ou de gays pra chocar. UAU ESSE BAFINHA É FERA!

O público do Bananão

Imagina um cara que segue a vida dele sempre na média: temos um cara médio, com uma namorada de anos e anos que para alimentar a relação joga um "dadinho do amor" mas não passa disso, um cara que estudou administração de empresas com expertise em logística, acabou de trocar o seu carro,  dá uns tapas na bunda das putinhas da Baixa Augusta, sonha em pegar um traveco mas está lutando mentalmente contra isso e paga R$ 300 no cartão de crédito pra ir ver o Rafinha que "fala tudo mesmo". Filhos do Brasil de 60/70. No país do Mobral quem tinha "conhecimento" gerou a nação dos Stand ups. 

O Bananão na intimidade 

Na entrevista da Rolling Stone, o Bananão supracita o pai, veja que bacana:  "Meu pai sempre me achou do caralho. Ele falava: 'Rafael, você é artista. Você é como eu". Bananão, nessa quase fiquei com inveja de você, quase. Teu pai te tranformou nessa banana d'água que viraste. Porque pai é referência maior e se ele te diz que você é foda, você vai acreditar nisso e, você está certo, se achar do caralho leva a gente mais rápido que trem-bala. Quase esqueço do "selecionado público" do Mister Banana, o filho querido. 

Essa é a nossa nova geração de humoristas: fazem  matérias cobrando políticos, são abstêmios, bons filhos, heterossexuais, separam o lixo para reciclagem... Se esforçam mesmo em ser o protótipo do bom mocismo e ao invés de viver a "podridão", atiram ela para a sociedade e suas minorias em forma de """""PIADAS""""", porque eles são "exemplos" e tem sua consciência limpa - afinal eles estão tentando entrar no congresso combatendo políticos corruptos e zzzZZZzzz...Um homem que pratica sua própria decadência não me parece ter coragem de atirar essa "sujeira" ao outros e, no mínimo, ri de si mesmo. Deve ser daí que saem homens como Peter Sellers e  Richard Pryor. O Richard, um dos pioneiros do stand up - que Bafinha adora - , fazia seus shows falando de negros, do Bronx e de sua vida em hotéis baratos porque ele vivia isso tudo. Não é genuíno falar de estupro quando sua mulher ou mãe ou se no bairro onde cresceu mulheres não foram estupradas. As pessoas percebem que o Bananão passa longe disso, e ficam ofendidas com a insensibilidade dele. Uma falta de amor ao próximo que pra mim é sociopatia, já que ofender/chocar seu público é o que agrada ao Big Banana. 

Naquela noite, havia duas meninas loiras, gêmeas, com uma mãe cafona, ricas e gaúchas. Estavam alí com um pooddle na mão porque perseguiam eventos onde pudessem encontrar atores globais. Eram engraçadas e absurdas e as achei mais interessantes do que o show de comédia do Bananão. Gente autêntica é isso aí.

Agora, vejam Richard Pryor e esqueçam o que escrevi acima,




31 comentários:

Janaína disse...

Sensacional! Bafinha é o exemplo de babaca '''''''''''socialmente aceito e admirado''''''''''

Anônimo disse...

so queria entender porque todos engraçados do twitter QUE ESQUECE EM CAXA ALTA E FAZ ERRO DE CONCORDAICA nao gostam do rafinha. ESKREVE AÇIM ERRADO E UMA GRANDE COMEDIA NE

Lidia disse...

Texto brilhante.Mais do que nunca está na hora de expor estes pseudo-humoristas que nada acrescenam além do covarde preconceito em nome do humor.Parabéns!!!!

rogeritoo disse...

Excelente texto, principalmente para aqueles que entendem como um bom " comediante" pensa e, catárticamente, consegue cutucar feridas de forma inteligente e engraçada. Não é o caso do supracitado.

Gisele disse...

Olá,

Cheguei no teu blog por meio do Twitter do Vinícius Duarte.

Mesmo sem nunca ter sido submetida a uma sessão de "stand-up comedy" desse cara (ou de qualquer outro), cheguei a escrever sobre ele no meu próprio blog há alguns dias, motivada por uma entrevista que ele concedeu à IstoÉ e por ter ficado chocada ao saber da inacreditável repercussão das infâmias que ele escreve no Twitter. (http://brasilhablog.wordpress.com/2011/04/06/serio-mesmo-estao-rindo-de-que/)

Enfim... parabéns mesmo pelo post. Ficou ótimo.

Gisele.

Anônimo disse...

O que seria um "pooddle"? Continua errado.

Camilla Lopes disse...

é um cachorrinho de típico de gente afrescalhada que escreve como anônimo em blog, tentei consertar ;-(( me ajuda? beijos

Karina Ono disse...

Parabéns, isso sim é ''''''''humor inteligente''''''' é tratar a realidade como ela é e com limites obvios e não aquilo que o Bananão, como diz você, faz.
Uma coisa que sempre odiei nesse Rafael Bastos é que ele se diz humorista, mas em seus quadros, quando a coisa esquenta a beechah fica toda nervosinha, se é pra fazer humor faça só humor, não leve o resto a sério.
Enfim, parabéns, post muito bom mesmo ^^

Eduardo Silveira disse...

achei tudo muito inteligente e acertado.
exceto a menção a João do Rio, que não cabe a meu ver.

Renato Camargo disse...

Camilla, nem preciso elogiar seu texto e dizer que ficou muito bom, pois isso seria repetitivo(vivo falando isso dos seus textos).

Sintetizou bem o tipo de cultura que criou os standupers. O tipo de pessoa que admira esse tipo de "comédia" é o mesmo que processa o colégio porque o filho sofreu bullying dos coleguinhas,ou seja, "é engraçado, até ser comigo".
Aposto que a atriz que ficou brava com o lance da síndrome de Down estava "rachando o bico" até pisarem no calo dela.

Eu definiria o standup como um "humor hipócrita".(acabei de pensar nessa definição)
Acho que seu texto me ajudou a encontrar o que me incomodava tanto no standup, além do fato de não ter graça. É a hipocrisia mesmo, tanto dos "artistas" quanto do público.

Parabéns, acho que o seu texto - apesar do conservadorismo disfarçado - tocou em todos os pontos que precisava, pra falar de standup.

Camilla Lopes disse...

Eduardo, citei o João do Rio pelo pioneirismo no jornalismo investigativo que o rapaz do texto gosta de praticar em um outro programa dele na Band. ;-)

Camilla Lopes disse...

Renato, ninguém rachou o bico naquela noite, ficamos todos com cara de babaca mesmo. Acredite. ;-)

Anônimo disse...

às vezes desconfio do RB também, mas não vou além disso. tá certo, ele é raso muitas vezes, as piadas são efêmeras e qto ao jornalismo, porra, vc acertou em cheio ao falar de Hunter Thompson, ele deixaria a galera do programa lá no chinelo, não tem nem como começar a traçar um paralelo. e não há nada mais detestável do que esse HUMOR PIÁ DE PRÉDIO. mas não sinto raiva do cara, só acho que ele só está longe de ser o melhor e a impostura é só falastrice. aí vai mais exemplo de pq ele está longe de ser 'o cara' http://www.youtube.com/watch?v=oqPsiCQ6_kU , .
beijo, Rodrigo

Cíntia Teixeira disse...

Caramba... estou em êxtase. Descobri seu adorável blog através do Twitter e... meu, muito bom. Também é bom saber que existem pessoas que não se deixam "seduzir" (hahaha) pelo brilho da TV - que isto pra mim é a chave do """sucesso""" do rapazinho humorista. Enfim, bacana demais. Li a entrevista na RollingStone também e zzZZzzZzZZzzz, decepção com o moço que é supostamente o mais influente do Twitter no mundo (já que não costumo assisti-lo na TV). Feliz da vida com a descoberta do seu blog! Um abraço!

Kané disse...

Nem sei como vim parar aqui. Coisas do alemão, aquele besta. Gostei do blog, principalmente por não concordar com quase nada (contraditório, né?). Mas como dizem: opostos se atraem.
Parabéns pela coragem de falar (escrever).
E gostei do nome "cativa do deserto", talvez por você não gostar tanto assim...

Kané disse...

ah... Que bom que "Camila vai pro céu"

Ana Paula de Almeida disse...

Camila, que texto incrível! Desde o início sempre achei o Bostinha Bastos um grande babaca, e ficava muito triste quando minha turma de jornalismo idolatrava o CQC como """"humor inteligente""""". Se isso é humor inteligente, eu prefiro continuar na minha insignificância e na minha ignorância...Parabéns pelo texto!

elgroucho disse...

Cara, matou a pau. É isso.

Humoristas danoninho falando sobre o que não conhecem e chutando o termostato lá em cima só pra chocar.

Simples assim.

Gata Agressiva disse...

gente usando humor pra demonstrar/justificar seus preconceitos.. Bostinha Restos, um bom exemplo disso.

Francis Leech disse...

O stand up brasileiro sempre me deprimiu com toda essa atmosfera "povo da firma".

Seu texto é uma delícia, cara! Caí no chão várias vezes e levantei pra terminar de ler!

Luara disse...

Adorei o texto! Não sei muito bem como vim parar no seu blog, mas achei sensacional esse texto.

Lembro que alguma vez li em algum lugar (nada vaga a minha colocação né?) sobre como o humor do CQC (o programa televisivo do Rafinha Bastos) dá "conforto" pra esse cidadão de bem, que é hetero, branco, recicla seu lixo etc. É como se assistir a esses programas mostrasse algum tipo de postura crítica em relação a sociedade atual, mas sem sair do conforto do seu lar e de seu lugar-comum de pensamento.

Mas de qualquer forma, ótimo texto. Ótimo blog!

Mayara disse...

posso ser mais um 'branca e heterossexual que recicla lixo', mas entre você não gostar do cara e sair xingando ele por aí, existe uma diferença brutal, não acha?
você escreve bem, tem argumentos e sabe expô-los, só acho que é um pouco apelativa, passando pro lado do ridículo ao invés do crítico e inteligente.
o cara tá errado em fazer alguns tipos de piada que ele faz sim, mas é inegável que ele tem um humor diferente, acima do nível 'zorra total' e 'turma do didi', além de ter uma participação ativa na conscientização política de parte da população, apesar de ser uma parcela ínfima da mesma.
mas acredito que você seja o tipo de pessoa que diz que 'de grão em grão a galinha enche o papo', logo, já é de grande ajuda. afinal, eu sou uma em mais de seis bilhões, pra que reciclo lixo mesmo?

Camilla Lopes disse...

Olá Mayara

Não gosto do humor que o Rafinha Bastos promove. "Inegável" vai por água abaixo a partir do momento em que vi o show dele e não ri nem fiquei com raiva não senti nada. Prefiro Zorra Total a me sentir inteligente vendo show de stand up do CQC lá, mas compreendo que você se sinta, eu prefiro outras coisas. Reciclar o lixo nada tem a ver com o que eu disse foi apenas um exemplo de como esses caras pensam. FORTE ABS

Mayara disse...

se lesse com mais atenção, entenderia o 'reciclar lixo'.
não me sinto mais inteligente assistindo stand up, nem mais burra assistindo zorra total.

Camilla Lopes disse...

gosto de deixar as coisas claras, e eu dou a atenção ao que acho relevante, no caso, seu comentário é só mais um que me parece equivocado, mas ainda sim, não deixo de valorizar e responder, por isso exaltei que não debocho de quem recicla lixo. acredito que não te concerne o poder emocional ou espiritual de saber que eu "acho que uma andorinha só não faz verão" porque eu não sou do tipo que me importa com coletivo nessa questão de me sentir segura com o que os outros pensam, quem vai pela cabeça dos outros ou é doido ou quer morrer. obrigada pelo seu comentário e um abraço.

Mayara disse...

Sério, esquece tudo que eu falei sobre você ter uma argumentação boa e saber expô-la.
Seu comentário não tem nada a ver com o que eu estava dizendo, hehe.
Generalização apressada, uma falácia.

Camilla Lopes disse...

Querida,

nada do que eu tenha dito pode ser """falácia""" maior do que isso que você escreveu,

"o cara tá errado em fazer alguns tipos de piada que ele faz sim, mas é inegável que ele tem um humor diferente, acima do nível 'zorra total' e 'turma do didi', além de ter uma participação ativa na conscientização política de parte da população, apesar de ser uma parcela ínfima da mesma."

~~~parcela ínfima da mesma~~~

adoro suas frases,

parabéns,

um beijo,

obrigada,

Camilla

mariano disse...

vocÊ acha que só porque você nao gostou da apresentação do rapaz, as outras pessoas não tem o direito de gostar ?

você cita que ele ridiculariza as coisas que diz.Você não acha que está fazendo o mesmo ridicularizando-o ?

vocÊ dá a entender no seu texto que as pessoas que gostam do trabalho dele são simplesmente burras ou que elas riem para se sentirem inteligentes.

eu não sou burro em dar risadas de algumas coisas que ele fala, é o meu gosto, vejo as coisas de um ponto de vista diferentes do seu.

vejo que você tem algo contra ele, eu não tenho nada contra você, apenas discordo com algumas idéias sua.

se quiser meu skype pra debater de alguns assuntos ta aki: marianows1

Mariano.

Camilla Lopes disse...

Meu amigo isso aqui é um blog, e é meu. Eu escrevo o que eu quiser, falo mal de quem eu quiser, se você quer democracia, liga pra Dilma

Mayara disse...

tadinha, tão inocente...
por isso que o Brasil não muda.

Camilla Lopes disse...

verdade Mayara