17 de jul de 2009

Tretas



Dayse Lee é minha amiga meio debilóide do centro espírita. O sonho de Dayse Lee é receber santo, mas digamos, ela não tem uma estrutura emocional para isso. Tudo bem, depois de ver Dayse Lee vagando pelas ruas de Vila Isabel e, posteriormente vê-la na fila do restaurante popular, não resisti em não ficar amiga dela quando a encontrei no centro espírita. E tem algo interessante sobre Dayse Lee; é uma isolada, filha de americanos, loira boboca, que anda arrastado: mas epere... Ela sabe quando tiram sarro dela! Melhor impossível. Outro dia, Dayse Lee arrumou confusão com uma piriquete. Explico, piriguetes são as patricinhas pobres com um ranço de barraquismo tosco. Em suma, elas dão porrada mesmo. Para brigar com Dayse Lee, a pirguete continuamente esbarrava em mim. E assim foi uma, duas, três vezes até que:
"Olha só, resolva suas pendengas com Dayse Lee sem tocar em mim, certo?"
"Você é de ouro?"
"De aço."
Calou-se a piriguete.
Dayse Lee ficou exultante com a minha condição de invensível.
Outra treta, essa foi mais feia.
Um problema duas amigas, eu disse - agredi mesmo;

"Vocês que tem 30 e poucos anos, saem para caçar os caras na night eu jamais farei isso. Isso é patético. Prefiro ser a louca que cria gatos e tem uma ONG!"

Foi feio e baixo, como todo mundo é às vezes. Pedi desculpas e assumi o que disse, letra por letra. Se vão me perdoar? Não sei. Mas eu gosto de saber que fui mesquinha em algumas ocasiões. São poucas, e quando acontecem eu assumo. O que mais posso fazer? De pouco a pouco talvez me restem as Dayses Lee mongolóides.

Um comentário:

Slain disse...

é, concordo com a segunda treta. 30 e poucos anos sair pra night pegar caras, aiai.
cada vez mais potencializo minha certeza de que as pessoas morrem jovens. isso é, continuam quase que o(a) mesmo(a) babaca de 16 e 17 anos... um exemplo disso são os chats, onde se encontra as sexygenárias procurando piroca.
bla bla bla