15 de set de 2009

É bom dizer que hoje o dia foi uma merda

Levantei e consegui a vitória de todas as manhãs que é tirar Valentina da cama, apesar dos protestos. Quando fecho a porta depois de dizer que a amo e que ela tenha boa aula, penso: COMO CONSIGO FAZER ISSO? Claro que é instintivo, macacos catam piolhos dos filhotes, leoas caçam antílopes, hienas roubam e eu acordo às seis para garantir que ela vá para escola de dentes escovados e café da manhã. Não sei se é fazer muito, mas tento fazer com que ela seja uma pessoa de princípios. Alguém que não delete os outros, que seja generosa, que não seja covarde e principalmente que possa encontrar a beleza onde o senso comum passa batido. Um pouco de mim, mas mil vezes melhor, é assim que eu gostaria que ela fosse.

Depois que ela saiu eu passei mal. Algo que comi ontem numa pauta. Pipoca de rua eu acho. Não fui trabalhar hoje, recebi más notícias do banco e fiquei uma hora olhando para a parede apenas admirando a beleza dos problemas. Eles me empolgam. Quando tudo dá errado eu quero que dê mais errado ainda só para ver onde vai dar. Na verdade, tento resolver. Por outro lado, acho que que é necessário respeitar o fracasso e ir fazer outra coisa. Todos os dias penso em largar o jornalismo. Gosto muito do ofício, demais até... mas acho enjoado todo o esquema. Sempre estão falando mal de você, algo sempre dá errado porque alguém fez uma merda e você tem de deletar para a chefia ser compreensiva. E eu não entrego os outros, não sei fazer isso, dizem que é um dos princípios anarquistas... Não sei.


3 comentários:

Anna Lu disse...

Compartilho do mesmo pensamento todos os dias...

Bruna disse...

Somos três.

dudv disse...

Suas crônicas davam um filme interessante. Sempre gostei do seu estilo de escrever. Bom final de semana!